Como construir o seu guarda-roupa profissional

No mais recente livro “Imagem Profissional, Guia de Estilo”, a autora e blogger do In Styleland, Rita Carvalho, dá Imagem profissionalalgumas dicas para quem pretende construir um guarda-roupa. Nem sempre é fácil saber o que é mais apropriado para o ambiente de trabalho e as profissões não são todas iguais, por isso é importante ter em conta o dress code da sua empresa. Trabalha numa área mais formal ou criativa?

O seu guarda-roupa profissional deve estar preparado para todas as ocasiões. Quer seja uma reunião com um cliente, um almoço de negócios, uma apresentação em público ou um cocktail no final da tarde, é importante ter peças versáteis, que se adaptem aos diferentes contextos. O segredo está em saber identificar quais são as peças chave para rentabilizar o seu guarda-roupa.

Os básicos não passam de moda, podendo usá-los tanto em contextos formais como informais. Os cortes mais clássicos, os tons neutros e os materiais de qualidade são sempre as melhores opções para a base do seu guarda-roupa. Depois, pode complementar e actualizar o seu look com acessórios e peças tendência de cada estação.

Certifique-se de que as peças lhe assentam bem (tamanho e comprimento), mesmo que para tal tenha de fazer pequenos arranjos numa costureira. E lembre-se de que o estilo deve estar sempre adequado às suas caraterísticas físicas, profissão e estilo de vida.

  1. Cores Neutras

Os tons neutros (cinzento, preto, branco, azul-escuro, verde-escuro, beringela, camel, toupeira e castanho) oferecem maiores possibilidades de conjugação e não cansam tanto a vista, pelo que devem ser a base do seu guarda-roupa. Por exemplo, umas calças ou casaco preto, branco ou cinzento ficam bem com qualquer cor. No entanto, os tonsvivos também dão mais vida ao rosto e revelam a sua personalidade e estado de espírito, pelo que deve ter algumas peças coloridas, de modo a não ficar com um look demasiado monótono.

  1. Versatilidade

Na hora de comprar uma peça valorize as que são mais versáteis e se adaptam a várias situações, de modo a que possam ser usadas em qualquer estação do ano, em diferentes contextos profissionais e combinem com os restantes artigos do seu armário. Quanto mais coordenados conseguir fazer, mais irá rentabilizar o seu guarda-roupa. Um vestido preto, umas calças pretas, um blazer clássico, uma saia lápis ou uma camisa branca são alguns exemplos de roupas versáteis, que se adequam tanto a um contexto mais formal como casual.

  1. Qualidade

Aposte em artigos de qualidade. Como tal, tenha em atenção o corte, o material e os acabamentos. Evite alguns tecidos sintéticos (por exemplo, poliéster), que absorvem os odores, colam-se à pele e têm um ar pouco distinto, bem como as malhas que criam borbotos com maior facilidade. Prefira roupas em algodão, seda e linho (fibras naturais), que absorvem o suor e permitem que o ar circule, evitando que a transpiração se torne um problema. E muito importante, a marca nem sempre é sinónimo de qualidade, pelo que não se limite a este critério.

  1. Intemporalidade

Aposte nos básicos de guarda-roupa, que nunca passam de moda. Os cortes mais estruturados e simples, assim como os padrões clássicos (riscas, bolinhas e xadrez) também são intemporais.

  1. Básicos vs Tendências

Todos os anos, a indústria da moda lança novas tendências, ao nível do corte, dos estampados e das cores. Porém, os artigos mais marcantes passam de moda rapidamente e destacam-se mais. Por isso, deve comprar peças tendência de marcas mais acessíveis e investir algum dinheiro nos básicos, que vão fazer parte do seu armário durante anos. Lembre-se de que pode ter como base do guarda-roupa peças mais clássicas combinando-as depois com apontamentos mais trendy para um look mais moderno.

 

Por Rita Carvalho, autora do livro “Imagem Profissional”

Ilustrações de Ana Gil 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *