Como não engordar nas férias

Passamos o ano a culpar o stress e a falta de tempo pela alimentação pouco saudável, mas nas férias acabamos por engordar, quando planeámos justamente o oposto.

A desorganização dos hábitos alimentares e a inércia associada ao descanso são responsáveis pela acumulação de quilos indesejados no final do verão. Como manter a forma sem estragar as férias?

Se dedicou os três últimos meses a pôr-se em forma, qual é a lógica de deitar tudo a perder em três semanas de férias? O objetivo pode não ser emagrecer nas férias (afinal, não é altura para sacrifícios). Mas manter a silhueta que conquistou é o mínimo. E é fácil de conseguir. Porque sentimos vontade de comer – “A fome deriva da necessidade do corpo em obter energia, resultando da diminuição da glicose no sangue. A resposta imediata do cérebro à redução da glicose é a manifestação da vontade de ingerir alimentos. Quanto maior a fome, maior o desejo por alimentos de fácil absorção, que proporcionam a rápida reposição dos níveis de açúcar no sangue”. É crucial manter os níveis de glicose estáveis, para não sentir fome descontrolada que leva ao consumo exagerado e aleatório.

Comer de três em três horas é a chave. Há também que saber distinguir entre a fome fisiológica e a vontade de comer (que pode ser fome emocional, nomeadamente comer para compensar sentimentos de ansiedade, tristeza ou frustração) ou simples vício de boca. Este último traduz-se, frequentemente, no costume de petiscar.

Em férias parece que há tentações onde quer que vá, nomeadamente, as cervejas na esplanada, as bolas de Berlim e gelados na praia, as bolachas ao lanche, as sobremesas em casa dos amigos, os aperitivos antes do jantar, os cocktails nas saídas à noite, os cachorros quentes e as tostas mistas de madrugada.

Petiscar ao longo do dia é, muitas vezes, um comportamento quase inconsciente. Seja forte e esteja atenta aos sinais que o seu cérebro envia ao estômago. Não ceda a gulodices ou ao vício de boca.

Erros a evitar

– Desorganização das refeições
Acordar tarde, saltar o pequeno almoço, jantar às 23h, passar o dia a petiscar em vez de fazer refeições completas são erros frequentes em férias. Saiba que dormir a horas certas, acordar cedo e tomar as refeições regulares mantém o seu corpo e espírito equilibrado.

– Inércia
Descanso e inatividade não são a mesma coisa e podem até ser incompatíveis. Se não quer engordar nas férias, aposte na atividade física como divertimento.

Jogar à bola, nadar, caminhar à beira-mar, andar de bicicleta, experimentar desportos radicais são exemplos do que pode fazer para relaxar e/ou divertir-se, quebrar a rotina, descansar a cabeça e manter-se em forma. No final, em vez de ficar cansado, vai sentir energia extra e a satisfação de saber que rentabilizou o tempo de lazer. Habitue-se a dar uma caminhada após as refeições. Se quiser, faça uma curta sesta, mas só depois do passeio a pé.

– Passeios gastronómicos
Evite eventos cujo pretexto seja a comida. Estes fazem com que se sinta obrigada a justificar a sua presença comendo e bebendo em quantidade. Em vez de uma deslocação a determinada região para degustar vinhos e enchidos, organize safaris fotográficos ou um rallypaper, por exemplo. Em vez de um churrasco, desafie os amigos para um campeonato de Trivial Pursuit.

– Jantaradas
Reduza o consumo de hidratos de carbono na parte final do dia. O seu corpo não vai ter tempo de gastar estes açúcares lentos que, inevitavelmente, serão armazenados no organismo e convertidos em gordura.

– Brindes com álcool
Uma dose de uísque tem cerca de 250 calorias. Reserve as bebidas alcoólicas apenas para os dias festivos. Beba só um copo e vá juntando gelo.

Truques para enganar a fome

– Coma sem exageros
Faça seis refeições por dia, intervalando as mais substanciais com as mais ligeiras. Não se deixe ficar esfomeado, porque aí não haverá força de vontade capaz de controlar o seu apetite devorador. Mastigue devagar.

– Beberique
Congele sumo de limão em cuvetes e dilua os cubos em água para reconfortar o estômago ao longo do dia, ao mesmo tempo que hidrata o organismo.

Prefira os sumos de frutos aos refrigerantes e beba-os com muito gelo e/ou diluídos em água.

– Leve comida de casa
Se vai ficar fora de casa horas suficientes que justifiquem uma refeição reforçada, leve uma lancheira refrigeradora para transportar fruta e água, fatias de pão escuro com queijo fatiado magro, alface e tomate. Assim, não tem desculpa para ceder aos gelados, refrigerantes, bolas de Berlim e outras tentações.

– Evite os snacks empacotados durante as viagens
Se vai para fora, fuja dos snacks empacotados e muito calóricos dos aeroportos e estações de serviço. Evite comer enquanto conduz. Para além de ser uma atitude perigosa, implica a ingestão de alimentos normalmente muito calóricos e de fraco valor nutritivo (batatas fritas, chocolates, refrigerantes, bolachas, entre outros). Aproveite as pausas nas viagens para fazer refeições completas ou lanches equilibrados.

– Cuidado com o que escolhe para comer nos restaurantes
Opte sempre por refeições pobres em gorduras e nunca dispense uma dose generosa de vegetais. Mas cuidado com os legumes salteados. Tendem a ter demasiada gordura e, assim, são contraproducentes. Cuidado também com as sobremesas, não se deixe levar pelos pudins, bolos e mousses caseiros. Fruta da época, sem açúcar nem calda ou natas, é a melhor opção.

Desejo-lhe umas ótimas férias!

Carla Castrelo

 

 

 

Nutricionista Carla Castrelo

  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *