Exposição “Monserrate Revisitado – A Coleção Cook em Portugal” para ver a partir de 1 dezembro

A Parques de Sintra apresenta, no Palácio de Monserrate, a partir de 1 de dezembro, a exposição “Monserrate Revisitado – A Coleção Cook em Portugal”, no ano em que se celebram os 200 anos do nascimento de Sir Francis Cook (1817 – 1901).

A mostra reúne peças da coleção de arte escolhidas pelo riquíssimo industrial inglês Sir Francis Cook no fim do século XIX, para a sua casa de veraneio, permitindo ao público compreender o valor artístico e histórico da sua coleção de arte em Portugal.

A exposição, resultado de uma pesquisa exaustiva, procura dar a conhecer a dimensão cultural do ilustre primeiro Visconde Sir Francis Cook e o conjunto de obras de arte que reuniu em Monserrate. Depois de ter sido dispersa em 1946, volta agora a ser possível admirar no palácio algumas das peças desta coleção, identificadas em acervos públicos e privados, e emprestadas temporariamente.

Este conjunto de mais de meia centena de preciosas obras de arte será disposto nas diversas salas do palácio agora restauradas, evidenciando a primorosa beleza dos seus estuques decorativos. A integrar a mostra encontra-se o relevo do Renascimento da autoria do escultor florentino Gregorio di Lorenzo, recentemente adquirido pela Parques de Sintra, que agora regressa ao Palácio para integrar a futura coleção museológica de Monserrate.

Francis Cook, notável colecionador de arte e mecenas, adquiriu a histórica quinta de Monserrate, Sintra, em 1856. Renovou o palacete que havia sido habitado pelo escritor William Beckford, decorando as suas salas com preciosas obras de arte, entre pintura, escultura, mobiliário, cerâmica e porcelana oriental, têxteis, ourivesaria, entre outras.

Esta exposição resulta da investigação realizada até agora acerca do acervo da família Cook em Monserrate, mas é também um arranque da musealização dos interiores do palácio. Pretende também divulgar junto do público a pesquisa de objetos históricos a que se dará continuidade, no sentido de se criar um acervo do palácio com peças autênticas, permitindo ao público compreender como se vivia em Monserrate, à semelhança das casas de campo da época.

O empréstimo de peças resulta de acordos com instituições como o Museu Nacional de Arte Antiga, a Casa-Museu Medeiros e Almeida, a Coleção Dr. Manuel Vinhas, a Coleção John Somerville, o Colégio de São João de Brito – Centro Inaciano do Lumiar, e a Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva – Museu de Artes Decorativas Portuguesas.

A acompanhar a exposição foi editado o Catálogo que contém estudos individuais das peças expostas, assim como estudos de fundo dos diversos temas que permitem conhecer a história da propriedade e dos seus proprietários. Esta publicação está ilustrada por inúmeras imagens, não só do acervo da Parques de Sintra, mas também gentilmente cedidas por várias instituições nacionais e estrangeiras, bem como pelas famílias Cook e Kingsbury. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *