Novo Olivier aposta em menu “feito com amor”

O conhecido restaurante Olivier Avenida mudou de nome, conceito e decoração e o Onde Ir foi espreitar as novidades. Provámos a nova ementa do Chef Olivier da Costa, que se juntou à nossa mesa para uma conversa descontraída, tão ou mais que a sua própria comida.

olivier

Por Sandra Martins Pereira

A decoração do novo Olivier, assim se passa a chamar o espaço, que fica no AVANI Avenida da Liberdade Lisbon Hotel (antigo Hotel Tivoli Jardim), esteve a cargo da sua irmã Sofia, refletindo elegância e romantismo, num espaço com um ambiente trendy e cosmopolita. Os sofás azuis, as flores, o papel de parede e as andorinhas de Bordalo Pinheiro que invadem teto e parede da entrada da sala de refeições não deixam ninguém indiferente. Novidade é também a esplanada agora existente, que acolhe pelo menos 60 pessoas e promete ser lugar assente nas noites quentes de verão da capital lisboeta.

Começámos com um cocktail bem refrescante, o Moscow Mule, uma mistura de vodka, lima, ginger beer e hortelã, trazida peloOLIVIER-0416-31 novo diretor do restaurante: “Vou ao Dubai várias vezes e numa dessas idas conheci um rapaz que era floor manager do restaurante japonês Zuma no Dubai, que acabou por casar com uma portuguesa e veio viver para cá. Agora é o nosso diretor do Olivier e faz este e outros cocktails deliciosos”, conta o Chef Olivier da Costa.

Seguimos até à sala de refeições para nos sentarmos na mesa que o chef nos reservou, e enquanto bebemos o nosso Moscow Mule ficamos a saber sobre a nova carta.

empadas“Os pratos novos são inspirados naquilo que eu gosto de comer e em algumas recordações que tenho da minha infância. Por exemplo, a empada de galinha da D. Luzia (que o Onde Ir provou e aprovou) e que eu tenho agora no menu. A D. Luzia é uma senhora de nacionalidade brasileira que nos ajuda nos pequenos-almoços e que faz umas empadas de galinha divinais, que todos nós gostávamos. Peguei nessa receita, dei-lhe um twist, acrescentei o catupiry e é um sucesso. No fundo tudo o que é feito com amor resulta”, confessa.

O mesmo se passou com o niguiri que nos foi apresentado de entrada, um salmão marinado em beterraba, endro e salada polaca, que remete Olivier da Costa à infância e à salada que a empregada Isa fazia.

Seguiram-se os carpaccios de melão, pérolas de mozzarella, hortelã, presunto e framboesa e ainda o de foie gras, magret fumado, lentilha beluga e pera-rocha. Nada a apontar, estavam ambos deliciosos e uma escolha bem acertada para os dias quentes de verão que se avizinham.

foie gras

A terminar as entradas frias tempo ainda para degustar os “cornettos” de guacamole, salmão, cavala e tobiko.cornetos

Depois de apurada a nossa curiosidade com a história da famosa empada de galinha da D. Luzia, nada como experimentar e temos de dar a razão ao Chef. Espaço ainda para um folhado de queijo de cabra e doce de figo que não lhe ficava nada atrás, tudo acompanhado por um vinho rosé Chateau Pigoudet.

As histórias continuam e a que se segue vem sublinhar uma vez mais o que Olivier nos disse inicialmente sobre a sua nova carta. O prato que se seguiu foi uma massa, mas não é uma massa qualquer, chama-se Massa da Tia Carolina, “a minha” diz o Chef.

“A minha tia que vivia na Raposeira, é inglesa e ela cultivava os tomates e o manjericão. É um molho que demora quatro horas a fazer, fica assim muito pastoso, muito forte de sabor. A minha comida é assim com muito ‘power’, primeiro dá-se uma garfada e ‘uau de onde é que isto vem? E depois outra e descobre-se o que tem e assim sucessivamente”, conta-nos.

massaA acompanhar a massa chegou uma Picanha Wagyu, mas os “Amantes de Carne” como podemos ler na carta têm muitas outras opções, como a Manta de novilho com molho Olivier, o Bife New York Striper e por aí fora.

Se prefere o peixe não fique triste, porque “Aqui (também) há peixe”, com mais um prato de autoria do Chef, o Polvo vs Bacalhau, em que o árbitro é o ovo escalfado. Um prato que Olivier fazia quando estava de dieta e que os amigos provavam e gostavam. Surge assim nesta nova carta em duas versões: uma de verão e outra de inverno, como nos explicou.

Também há espadarte grelhado, Bacalhau com crosta de amendoim, piripiri, banana e mandioca, entre outros.

E nada como um “Doce final feliz”. Confessamos que por esta altura já estávamos mais do que satisfeitos, mas era impossível paris brestresistir à Bomba branca: gelado de chocolate branco merengado e frutos vermelhos ou ao Paris-Brest com praliné de avelã.

As novidades que aí vêm

E porque o Chef não para, ainda que desde 2014 a 2017 tenha aberto nove restaurantes, entre eles, o Yakuza, o Petit Palais, o Absurdo, o Pito do Bairro, o K.O.B., o Guilty, entre outros, prepara-se para abrir mais restaurantes no Algarve, nos meses de junho e julho, e guarda no segredo dos Deuses a localização do novo Guilty no Algarve que abrirá a 21 de julho com muita festa.

Para os aficionados em automóveis, Olivier da Costa deixa uma dica que ainda este mês estará à disposição dos clientes do Pito do Bairro: “Vais de 0 a 10 pitos num Ferrari”. Trata-se de um serviço de home delivery: “Os clientes que encomendarem 10 vezes no Pito do Bairro, quando entregarem o cartão na décima vez, na encomenda seguinte vamos entregar o pedido num Ferrari e poderão dar uma volta ao quarteirão”, desvenda o Chef.

 

Olivier

Horário de funcionamento:

Das 12h – 15  e das 20h – 00h
Sáb. das 20h – 00h

Encerra ao domingo

Telefone: +351 21 317 4105
Reservas: AVENIDA@OLIVIER.PT

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *