“O Mundo Fantástico de Paula Rego” pelos olhos da curadora Catarina Alfaro

No próximo dia 22 de agosto, a Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” – que se encontra patente ao público na Praça Central do Centro Colombo – irá receber 21 novos quadros inspirados na obra literária “Peter Pan”. Estas novas obras irão substituir os atuais 26 quadros criados por Paula Rego e inspirados na obra literária “Jane Eyre”, dando a conhecer um conjunto igualmente relevante de obras da artista.

Por Sandra Martins Pereira

Catarina Alfaro

O Onde Ir conversou com a curadora desta exposição, Catarina Alfaro:

Como tem decorrido “O Mundo Fantástico de Paula Rego” em exposição no Centro Comercial Colombo? 

A Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” está a correr muito bem. Em termos de visitas à Exposição, a mesma já recebeu mais de 100 mil pessoas no primeiro mês de exibição. E posso avançar que, à data de hoje, já mais de 120 mil pessoas a visitaram.

Esta é uma mostra dedicada às “Estórias” e “Contos” de Paula Rego que marcaram a sua vida e o seu percurso artístico, na qual uma das obras mais significativas da artista – “A Fada Azul e Pinóquio” – é dada a conhecer, em exclusivo, na mostra que o Centro Colombo tem patente ao público, desde 27 de junho.

Quando montaram esta exposição o que queriam atrair no público?

Paula Rego é um talento inquestionável, quer pela riqueza emocional e artística que é refletida em todo o seu trabalho, quer pela notoriedade e criatividade que caracteriza a sua obra. É das artistas portuguesas contemporâneas mais reconhecidas a nível mundial e que, atualmente, faz parte dos mais reconhecidos 20 artistas mundiais ainda a produzirem.

A Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” surpreende os visitantes pela riqueza artística que representa em si, por um lado, e pelo ambiente museológico que foi pensado para receber as obras de Paula Rego dentro de um Centro Comercial, por outro. A mostra está disposta em três salas de dimensões e proporções distintas, que encaminham o visitante até ao espaço central, onde se encontra uma das obras principais da Exposição.

É composta por um total de 59 obras que englobam uma diversidade artística muito grande, que inclui gravuras, pintura, pastel (pintura) e litografias. A “A Fada Azul e Pinóquio” é uma das obras mais significativas da artista e foi dada a conhecer, em exclusivo, na mostra que o Centro Colombo tem patente ao público. Além destas obras, a Exposição dá a conhecer outros trabalhos da artista, igualmente relevantes a nível nacional e internacional como, por exemplo, a Série “Príncipe Porco”, “Study for de White Cat”, “The Cigarette”, “Quarto de Shakespeare”, assim como uma Série inspirada na obra literária “Jane Eyre” que, em 2017, celebra 170 anos desde a sua primeira publicação. Esta Série de quadros vai pode ser vista até ao próximo dia 21 de agosto, uma vez que, no dia 22 de agosto, a Exposição irá receber 21 novos quadros inspirados na obra literária “Peter Pan”, que irão substituir os 26 quadros criados por Paula Rego e inspirados na obra literária “Jane Eyre”, criando assim um “fator novidade” na Exposição.

As obras que constituem “O Mundo Fantástico de Paula Rego” foram criteriosamente escolhidas a pensar na proximidade dos temas, num imaginário coletivo de fantasia presente nos contos literários nos quais a artista tomou como ponto de partida para a inspiração de muitas delas. São obras que têm uma dimensão literária muito presente e que partilham características comuns, temas e estruturas narrativas alinhadas numa estética do fantástico, em que se exploram as temáticas do amor, da sedução, do medo, do poder, da subjugação, da transgressão, entre outros temas.

O feedback do público em relação a esta mostra vai ao encontro das vossas expectativas?

O público tem sido muito recetivo à Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” e a prova dessa recetividade reflete-se no número de visitantes que este espaço comercial, transformado em museu já recebeu até ao momento – mais de 120 mil pessoas.

A 22 de agosto a exposição recebe mais 21 novos quadros. O que podemos esperar? Segue a mesma linha dos que já se encontram expostos?

Para a realização desta nova série de quadros, Paula Rego recuou à sua infância e às memórias desse seu tempo mágico, de aventuras e mistérios, e à época em que leu, pela primeira vez, o livro “Peter Pan”, oferecido pela sua ama. A artista distancia-se propositadamente das descrições pormenorizadas que fazem parte da obra literária e apresenta-nos, nesta série de 21 quadros, a sua interpretação pessoal da história e das personagens que a integram.

De que forma Paula Rego transpõe na sua obra este “Peter Pan”?

As histórias são transversais à sua obra, desde o início e isso é assumido pela própria artista quando diz: “A história inicial, de fora, permite-nos acordar histórias do nosso próprio mundo”. Mas este encontro, mais ou menos explícito, com as histórias nunca se traduz, na obra de Paula Rego, numa tentativa de ilustrar a palavra, o romance ou a persistência das imagens cinematográficas – da Disney, por exemplo, e, em particular, Pinóquio, ou Fantasia – que se alinharam sempre como influências marcantes.

As histórias da Paula Rego seguem as suas perceções enriquecendo-as sempre com as suas vivências e as suas próprias versões das histórias. E mesmo quando a construção das suas narrativas pictóricas passa por uma relação direta com as histórias que vêm do universo literário – como nas séries “Jane Eyre” ou “Peter Pan” aqui apresentadas – a abordagem é marcadamente autoral e, muitas vezes, autorreferencial e, por esta razão, as obras deixam de se submeter, numa delineada estratégia de transgressão, às suas referências exteriores (aos textos originais). Isto é, transformam-se noutras histórias ou ganham um novo sentido ao articularem-se, na tela ou no papel, com elementos e histórias que apenas à autora dizem respeito.

Nunca se trata, por isso, de um simples jogo de espelhos, tal como Paula Rego descreve: “O quadro é um objeto próprio, separado de ti. Quero dizer, estás a fazê-lo para descobrir como seria o resultado final. Quando acabo, o quadro diz-me algo. Um quadro revela-me aquilo que eu queria desde o início. Muitas vezes aquilo que se descobre durante o processo de fazer o quadro estava escondido, a viver noutra área da minha consciência, e depois aparece no quadro e assim compreendo, ‘Ah! Afinal não fui muito simpática para ela’. Consigo fazer tudo.”[1] E tudo isto acontece no seu ateliê.

Concluindo, há o mundo cá fora e o mundo que é construído no estúdio de Paula Rego e as realidades destes dois mundos não se tocam.

 

Quais os materiais utilizados e porquê?

A Exposição é composta por um total de 59 obras que englobam uma diversidade artística muito grande, que inclui gravuras (água e água tinta, por vezes coloridas), pintura, pastel (pintura) e litografias.

A Catarina proporciona também visitas guiadas a este Mundo Fantástico. Porque decidiram fazer estas visitas guiadas? Os visitantes têm necessidade de mais explicações sobre os quadros em exposição? Há curiosidade pela obra da artista?

Exatamente, estamos a realizar visitas guiadas gratuitas a “O Mundo Fantástico de Paula Rego” desde o passado mês de julho e que se irão prolongar até setembro, nos dias 7 e 21, mediante inscrição. A realização destas visitas deve-se, essencialmente, ao interesse demonstrado por parte do público em conhecer mais sobre a obra exposta e a artista.

Ao realizar as visitas guiadas posso explicar detalhadamente cada uma das obras e dar a conhecer as histórias que estão por detrás de cada uma delas assim como falar também sobre todo o trabalho de pesquisa, análise e inspiração da artista para o seu trabalho.

Está a ser uma experiência muito positiva, na qual o diálogo se revela bastante rico, permitindo ao público entrar nas histórias que são contadas, a partir das obras, de uma forma detalhada.

Se pudesse deixar um convite a quem ainda não visitou a mostra, o que diria?

Que a venham visitar! É, sem dúvida, uma oportunidade única para ter um contacto com a obra da artista, num espaço que é de todos e que cria, em si, mesmo o lado intimista de um museu.

A Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” leva-nos a um território de encantamento próprio da obra Paula Rego, sempre feita a partir das histórias (pessoais e universais), onde o mundano se cruza com a fantasia.

Assim, reforço o convite a quem ainda não veio ao Centro Colombo visitar a Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego”. Todos os dias, entre as 10H00 e as 24H00, a Exposição pode ser visitada. De referir que até dia 21 de agosto pode conhecer os quadros da artista inspirados na obra literária “Jane Eyre” e, a partir do dia 22 de agosto, a Exposição receberá os novos quadros inspirados na obra literária “Peter Pan”.

 

 

 

[1] Entrevista a Paula Rego em Rebecca Fortnum, Contemporary British Women Artists: In Their Own Words, Londres: I.B. Tauris, 2006. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *