1 M€ para valorizar Aldeias do Xisto

Regenerar e revitalizar todo o território das 27 Aldeias do Xisto que foram afetadas pelos incêndios de 2017, através da disponibilização de um milhão de euros no âmbito da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior do Programa Valorizar, é o objetivo do contrato assinado esta quinta-feira, 28 de junho, entre o Turismo de Portugal e a ADXTUR, durante uma cerimónia na Aldeia de Xisto de Álvaro, em Oleiros, que contou com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Entre os projetos aprovados estão a regeneração agroflorestal com a aquisição de 4.455 árvores, e estabelecimento de zonas de proteção a aldeias pioneiras: Ferraria de São João, Casal de São Simão, Água Formosa e Janeiro de Cima. Defesa das Aldeias do Xisto que inclui as faixas secundárias de gestão de combustível; infraestruturas de defesa que incluem o investimento em equipamentos contra incêndio e comunicação, nomeadamente, rede móvel, WIFI, linhas de comunicação e implementação de uma solução de rádio com a Banda do Cidadão em 16 Aldeias e em 50 praias fluviais.

Implementação de áreas de imersão e diversificação de atividades, por exemplo, percursos sensoriais, observatórios, acolhimento infantil, painéis interpretativos e leitores de paisagem, percursos pedestres e de BTT, e investimento em centros de acolhimento de atividades turísticas, agrícolas e pastoris. Requalificação dos espaços públicos que visa dotar as Aldeias de novo mobiliário urbano, sinalética e painéis informativos, bem como proceder a rearranjos urbanísticos. Requalificação de dois fornos comunitários na Aldeia de Sobral de São Miguel; obras de requalificação na Escola de Pesca na Aldeia de Álvaro; obras de requalificação na Casa da Memória na Aldeia das Dez; obras de requalificação na Casa dos Sabores na Aldeia de Pedrógão Pequeno; obras de requalificação na Escola do Mel na Aldeia de Janeiro de Baixo.

Para a Ana Mendes Godinho, “este é um projeto muito importante para a recuperação das Aldeias do Xisto que foram afetadas pelos incêndios do ano passado, e que também contribui para dinamizar a atividade turística nestas 27 aldeias, que são um exemplo marcante do que de mais genuíno temos no nosso país”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *