A Joana, o Pedro e a Inês

O Mar Vermelho, entre o continente asiático e africano, esconde infindáveis vidas submarinas. Os seus braços chegam ao Oceano Índico e as pontas dos dedos tocam o Mar Mediterrâneo, com a mesma delicadeza com que os traços da pintura de Joana de Carvalho e Silva nos aproximam das múltiplas histórias imersas em cada obra de arte.

Confesso a dificuldade em decorar todos os nomes de todas as obras de todos os artistas. Recorro a artimanhas que me permitem reconhecê-las quando alguém questiona se sei, assim de repente, o nome daquela peça daquela jovem artista, carregada a vermelho e de moldura dourada. E a obra de arte que ganhou nova casa, esta semana, e deixou a galeria shairart dst era, para mim, secretamente, o Mar Vermelho. Imagino camadas e camadas de cortinas de veludo teatrais pousadas no chão, sucessivamente, abrindo alas para as meninas que ocupam e contrastam o palco, de branco. Visualizo as mãos da artista, manobrando as restantes pequenas figuras como marionetas, que flutuam nas margens cor de tinto, debruçando-se, mas sem nunca arriscar mergulhar, deixando as profundidades para nós, os que as contemplamos. Tento visualizá-la na nova residência, admirada por outros de nós que a enriquecem com mais interpretações, histórias e vidas.

No espaço da galeria onde habitava a obra de arte de Joana de Carvalho e Silva viverá uma peça: A Caixa de Murmúrios, do arquiteto Pedro Crisóstomo. A instalação artística, criada este ano a partir do bailado Murmúrios de Pedro e Inês, é um desafio lançado pelos seus criadores e intérpretes: Fernando Duarte e Solange Melo. A peça, que acompanhará a digressão do espetáculo, tem início em Braga dia 29 de abril.

Celebramos a última semana da atual exposição da shairart, ESCRUTÍNIO DO (IN)VISÍVEL – PINTURA E SIMULACRO, de Joana de Carvalho e Silva, enquanto antecipamos a estreia do espetáculo Murmúrios de Pedro e Inês. Este sábado, na sala principal da galeria shairart dst, de acústica perfeita, falaremos sobre arte, ballet, arquitetura e cultura, sob a moderação de Helena Mendes Pereira, chief curator.  A Conversa d’Artista à volta dos Murmúrios de Pedro e Inês, a partir das 16h00, parte da programação da shairart e promove o contacto e perceção da obra dos artistas. De forma constante, a shairart cresce e amadurece. Em rede, em parcerias, em espaços de exposição e discussão. Queremos continuar a ser ponto de encontro entre criadores e público, abrindo as portas do nosso, vosso espaço.

 

 

 

 

 

Catarina Martins

Head of Communication da shairart

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *