Abreu lança “Viagens (im)prováveis”

A Agência Abreu acaba de lançar “Viagens (im)prováveis”. Coreia do Norte, Butão, Líbano, Colômbia, Gronelândia são alguns dos destinos que os amantes de viagens poderão visitar, não sozinhos, mas acompanhados por “guias” bem especiais.

Por Sandra Martins Pereira

António Barroso Cruz

António Barroso Cruz, viajante compulsivo, escritor e apresentador de eventos é um dos oito “autores” destas viagens (im)prováveis que pretendem “ir ao encontro de expetativas algo fora da caixa” e que foram apresentadas na Fundação Joana Vasconcelos, em Lisboa.

“Este é um conceito novo, que vai ao encontro de muitos dos nossos clientes que procuram coisas desformatadas daquilo que temos habitualmente à venda nas agências”, explica o nosso interlocutor, que já leva na bagagem 85 países visitados e mais de 700 cidades.

“Esta são viagens feitas à medida, com conceitos e conteúdos novos, para proporcionar experiências diferentes aos viajantes. Os grupos não terão mais de 15 pessoas e serão acompanhados por um dos oito autores de cada roteiro. Pessoas que conhecem muito bem o terreno, com um conhecimento do destino e com um conhecimento cultural geral genérico muito forte. Temos por exemplo Osvaldo Macedo de Sousa, cantor lírico do Teatro Nacional de São Carlos, que é historiador de formação e que é o maior conhecedor de cartoonismo em Portugal e no estrangeiro”, explica António Barroso Cruz, acrescentando: “Temos quiçá o maior historiador de África, o José Silva Reis, que é uma pessoa que conhece profundamente este Continente, e desenhou o programa da Guiné. Temos ainda um fotojornalista, o Ângelo Lucas que é premiado internacionalmente pelos seus documentários e fotografias, conhece muito bem o Líbano e outros territórios interessantes”.

Ângelo Lucas e Osvaldo Macedo de Sousa

Entre os destinos (im)prováveis estão o Líbano, a Gronelândia, Nova Iorque (mas numa espécie de blind date), a Pensilvânia, a Colômbia, o Príncipe de São Tomé, a Guiné Bissau, a Coreia do Norte, o Butão, a Arménia e a Bulgária também num conceito muito específico.

Os programas são entre 7 e 17 dias e os preços variam em função do destino e do conteúdo programático: “Estamos a falar de preços que vão dos 2.020€ aos 9.300€”, avança o responsável pelo catálogo, acrescentando que o conceito hoteleiro “vai alterando conforme o destino, podemos ter hotéis standard, passando por boutique e design hotels até luxo puro”.

Segundo António Barroso Cruz esta “não é uma experiência, é um catálogo que veio para ficar, pois sabemos que há procura por este tipo de viagens. Em meados do próximo ano estarei já a preparar o novo para 2020 e 2021, mantendo alguns destinos, retirando e acrescentando outros. O mesmo se passará com os autores”.

Quanto ao perfil dos viajantes que procuram estes programas, António Barroso Cruz refere que “são para várias faixas etárias, diria que talvez pessoas mais jovens se enquadrem na viagem à Gronelândia, que é talvez a mais aventureira e fora da caixa, porque haverá caminhadas em glaciares, passeios em kayak e em semirrígidos por entre os glaciares”.

“No Líbano há uma visita a um campo de refugiados, com um objetivo humanitário em que as pessoas vão participar no quotidiano do campo, podendo ajudar. Na Guiné Bissau, por exemplo, vamos visitar um curandeiro e uma farmácia de mato, duas coisas raras que talvez só neste destino é que existirão. Na Coreia do Norte não há muito espaço para fazer experiências, mas só a ida àquele destino é por si só uma experiência. E Nova Iorque, não podendo revelar nada porque é um ‘blind date’, as pessoas vão ter que acreditar muito em quem vai acompanhá-los porque vai levá-los ‘pela mão’ por Nova Iorque”, explica.

As viagens, essas já estão à venda na Abreu. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *