Istambul, a cidade entre dois mundos

Istambul é uma cidade cheia de particularidades. É a única do mundo que se situa em dois continentes – Europa e Ásia – e é uma das mais antigas, escolhida como capital de três grandes Impérios:  Romano, Bizantino e Otomano. A cidade foi fundada no século 7 a.C. com o nome de Bizâncio, uma colónia grega. Séculos mais tarde foi conquistada pelo Império Romano e depois, séculos mais tarde, pelo Império Otomano que ali se manteve até 1923, altura em que se passou a chamar Constantinopla.

As águas do Bósforo separam as margens asiática e europeia daquela que já foi a cidade mais rica e poderosa de toda a cristandade. Atualmente, Istambul é uma das maiores cidades do mundo e rivaliza com Londres o título da mais populosa da Europa, com mais de 15 milhões de habitantes.

Normalmente, uma visita à cidade começa pela Praça Sultanahmet e zona envolvente. Esta praça estende-se entre a Mesquita Azul e a Haguia Sophia e foi em tempo o Hipódromo de Constantinopla. É o coração da zona antiga, ponto de encontro para os residentes locais, espaço de convívio em cafés ou apenas pela relva ou bancos por ali espalhados.  Nas suas imediações encontramos ainda o Palácio Topkapi e a Cisterna da Mesquita.

Istambul não tem apenas algumas das mais belas mesquitas do mundo, mas tem também o maior número, cerca de 3000. A mais conhecida, e talvez a mais imponente, é Hagia Sophia. Esta mesquita/museu é um dos monumentos mais impressionantes da Humanidade e um dos mais belos da cidade. É uma imagem icónica de Istambul e um dos símbolos mais procurados e fotografados. Foi uma catedral ortodoxa até 1453, quando foi convertida em Mesquita. Atualmente não recebe serviços religiosos uma vez que foi convertida em museu em 1934. Mesmo em frente, naquele que é o coração da cidade, encontra-se a Mesquita Azul. Poucas palavras conseguem descrever verdadeiramente este edifício. É claramente uma das mais fabulosas mesquitas de Istambul. Tem um exterior imponente, com 5 cúpulas e 6 minaretes, e um interior opulento onde se destacam as centenas de azulejos iznik azuis, que lhe deram o nome pelo qual é conhecida. Foi mandada construir pelo sultão Ahmet I, cujo entusiasmo era tanto pela sua obra que muitas vezes foi encontrado a ajudar os trabalhadores na construção.

A poucos metros das duas mais emblemáticas mesquitas da cidade, encontra-se o Palácio Topkapi, um espaço único, repleto de salas sumptuosas salas, pátios, fontes e jardins que combinam de forma brilhante os mais diferentes estilos arquitetónicos. Lar de várias gerações de sultões e suas esposas, está localizado numa zona nobre da cidade, com uma fabulosa vista para o corno dourado e o Bósforo.

Ainda na mesma zona, outro local inacreditável é a Cisterna da Basílica, uma cisterna subterrânea que é quase uma lenda da cidade. Originalmente foi construída para levar água potável a Istambul e ficou famosa pelo filme Inferno, onde um sociopata ali esconde um vírus mortal que irá exterminar mais de metade da população mundial. Independentemente do filme, a sua estrutura já era mais que motivo para uma visita: 336 colunas com oito metros de altura, retiradas de antigos templos do Império Otomano, área ocupada de 9800 m2 e armazena cerca 80 milhões de m3 de água. Entre as suas colunas, destacam-se as famosas bases com cara de Medusa e a coluna que chora ou ainda é chamada por se encontrar, inexplicavelmente, sempre molhada de cima a baixo (mesmo a parte que fica fora de água).

Depois da visita a mesquitas, cisternas e ao palácio, seguimos para outra zona da cidade em direção às cores, cheiros e artesanato local do Grande Bazar. Este é um dos locais de maior interesse e grande frequência de locais e turistas, mas vale a pena. Além dos produtos a beleza do local é também ponto de atração, tetos pintados de formas coloridas, ruas e ruelas sempre diferentes e organizadas por produtos e 22 portas ricamente decoradas. Aqui encontramos requintados tapetes produzidos à mão, intrincadas joias, lanternas deslumbrantes, doces e chás, especiarias, peças em pele. É um local excelente para beber um chá de maçã quente e uma baklava. Perder-se neste labirinto único de produtos turcos faz parte da experiência.

A cidade é verdadeiramente gigante e vai ser preciso alguma organização para conseguir visitar os principais pontos de atração. Depois da Praça Sultanahmet e da zona mais antiga da cidade o ideal é seguir em direção à frente marítima de Eminonu, este é dos pontos mais animados da cidade. Entre os inúmeros restaurantes onde se pode provar comida local, as diversas mesquitas, o bazar das especiarias e a partida e chegada dos ferrys que cruzam o Bósforo, é o local ideal para uma horas de diversão. O Bazar Egípcio, ou das especiarias como é conhecido, é semelhante ao Grande Bazar, mas vende essencialmente produtos alimentares e, claro, especiarias. Aqui, podem-se comprar quase todas as especiarias, deliciosos chás, frutos secos, doces e a famosa baklava e outros doces tradicionais.

Atravessamos agora a Ponte Galata, a famosa ponte que atravessa o Corno de Ouro e junta a velha e a nova Istambul. É uma ponte pedestre bastante singular. Por cima podemos passear tranquilamente e apreciar a vista que é absolutamente maravilhosa, sobretudo para os fãs de uma boa selfie. Por baixo, é uma animação só com os seus restaurantes onde é possível provar comida local e onde a especialidade é a famosa sandes de peixe grelhado.

Passando a ponte “entramos” na “nova” Istambul e no final do Bairro de Beyoglu. Localizado numa íngreme colina é o coração da zona moderna da cidade. Começa na Praça Taksim e desce até à zona ribeirinha pela movimentada Istiklal Caddesi, uma avenida pedonal repleta de lojas da moda. A Praça é agraciada pelo Monumento da Independência e o ponto de partida do icónico elétrico vermelho que desce Istiklal Caddesi. A descida até à zona ribeirinha é normalmente feita através do Túnel, um funicular que desce os 573m de inclinação que separam esta zona da cidade da ponte de Galata. Foi construído em 1874 e é um dos metros mais antigos do mundo.

Antes de entrar no Túnel, não devem deixar de visitar a Torre Galata, uns metros abaixo por uma rua muito animada de antiquários e lojas vintage. A Torre é uma das mais antigas do mundo e tem mais de 66 m de altura, 16,45 metros de diâmetro na base, paredes com mais de 3 metros de espessura e 14 janelas toda a volta. E é definitivamente o local com a melhor vista da cidade, de onde é possível observar os dois mundos (leia-se os dois continentes) que separam esta cidade irresistível. É um excelente local para terminar a visita a esta cidade arrebatadora.

Outra hipótese é através de um cruzeiro pelas águas do Bósforo, o importante canal que separa os dois lados de Istambul e uma das vias marítimas mais concorridas do mundo. Com 32 km de extensão é uma das vias mais bonitas para admirar a cidade. Daqui se avistam as mais belas mesquitas, pequenos refúgios ribeirinhos, e o Palácio Dolmabahce, o monumento mais esplendoroso da cidade, uma deslumbrante fantasia europeia que quase levou o sultão à falência e acelerou o fim do império. Entre outros pontos de interesse destaca-se a Torre de Leandro localizada numa pequena ilha junto à parte asiática da cidade e as Fortalezas asiática e Europeia. A Fortaleza da Ásia foi construída como defesa e é a rival, em menor tamanho, da fortaleza da Europa construída mesmo em frente, do outro lado do Bósforo, construída no ponto mais estreito do Bósforo com o objetivo de cortar o abastecimento de alimentos à cidade. É uma imponente muralha com 13 bastiões e 3 torres. Por fim, destaca-se a icónica Ponte Bósforo, que liga a Ásia à Europa, com um comprimento de mais de 1,5 km é uma das maiores do mundo.

Istambul foi uma cidade marcante, claramente um ponto de passagem obrigatório. É misteriosa e inebriante cidade e um verdadeiro tesouro da humanidade.

 

Guia Prático:

Como ir: de avião se partir diretamente de Portugal, se vier de algum outro destino das redondezas como a Grécia.

Onde ficar: existem muitos hotéis no centro histórico e são na sua maioria de grande qualidade e alguns a preços muito acessíveis. O Zeynep Sultan Hotel tem uma excelente localização, boa qualidade geral e um preço muito convidativo.

Como se deslocar: a pé ou de elétrico. Os bilhetes podem ser comprados nas estações e a frequência é excelente. É um ótimo meio de transporte para grandes ou pequenas distâncias. Táxis ou outros meios de transporte são para esquecer. O transito na cidade é inacreditável, a qualquer hora, e fazer 300m pode demorar 30’.

Onde e o que comer: bom e barato por quase todo o lado). A cidade é altamente turística e mas os preços são bastante agradáveis. Recomendo perto da Cisterna da Basílica a House of Medusa. Excelente comida local e a melhor meze que comi por lá, já para não falar do puré de Beringela.

 

A moeda: a moeda é a Lira Turca e quando comparada com o euro é bastante inferior, pelo que o câmbio é favorável.

 

Algumas palavras:

Olá – Merhaba

Obrigado – Tesekkur

Adeus – Hosca Kalin

Por favor – Lutfen

 

Por Sónia Dias

Blog de Viagens | Travel Random Notes 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *