O Brasil na vida de Chico Buarque

O novo livro, publicado este mês de novembro pela Companhia das Letras, reúne todas as letras escritas pelo músico brasileiro. Uma viagem, nas entrelinhas, à evolução do próprio país.

Por Wilson Ledo

A música é, muitas vezes, a forma mais rápida de se viajar para determinado local. Seja pelas sonoridades ou pelas histórias que nos trazem as letras. Não é diferente com a obra de Chico Buarque, músico e compositor brasileiro.

Agora, é possível fazer essa viagem através de um livro. Chama-se “Tantas Palavras” e reúne, pela primeira vez em Portugal, todas as canções escritas pelo artista nascido no Rio de Janeiro em 1944.

Tudo começa com “Tem mais Samba”, escrita em 1964 e considerada por Chico Buarque como o marco zero da sua carreira. A cada canção entra-se não só no percurso de vida deste criador mas também na evolução do próprio Brasil, a nível político e social: a produção nos tempos da ditadura militar é disso exemplo.

Os poemas vão-se sucedendo, até ao mais recente, “Tua Cantiga”, de 2017: distribuídos por 495 páginas e introduzidos pela reportagem de Huberto Werneck. É antes de entrarmos na escrita do próprio Chico Buarque que nos apercebemos que, afinal, há uma excepção à expressão “todas as letras”.

A única letra que fica de fora da compilação é a de “Sonho Impossível”. Juntamente com Ruy Guerra, Chico Buarque criou, em 1972, uma versão a partir da canção norte-americana “The Impossible Dream”, de Joe Darion e Mitch Leigh. Os atuais detentores dos direitos não autorizaram que a versão de Buarque fosse agora reproduzida, como é explicado na obra.

À medida que se folheia “Tantas Palavras”, outros nomes conhecidos se vão juntando a cada página. Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Gilberto Gil, Milton Nascimento ou Caetano Veloso são a prova desse trabalho em equipa, desse fulgor criativo brasileiro.

Agora com 74 anos, Chico Buarque continua a produzir palavra. Além das canções, é autor de livros aclamados pela crítica como “Benjamim”, “Leite Derramado” ou “O Irmão Alemão” (também publicados pela Companhia das Letras em Portugal).

Neste “Tantas Palavras”, onde se reúne a sua vida e a sua obra, há uma canção com ligação direta a Portugal: “Um Tempo que Passou”, de 1983, escrita com Sérgio Godinho. É um dos mais de 300 poemas para descobrir na viagem oferecida por estas páginas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *