Setembro em bloom

this is the recipe of life

said my mother

as she held me in her arms as i wept

think of those flowers you plant

in the garden each year

they will teach you

that people too

must wilt

fall

root

rise

in order to bloom

The sun and her flowers por Rupi Kaur

 

Rupi Kaur deu-se a conhecer através do Instagram. A rede social não permitiu a divulgação de parte da sua poesia visual (a menstruação em série fotográfica) e a indignação gerada acompanhou o crescente sucesso da poetisa indiana. Após o livro-estreia, Milk and Honey – publicado em 2014 de forma independente e, um ano depois, através de editora – as traduções da mais recente obra, the sun and her flowers, são ansiadas por cada vez mais idiomas. As ilustrações que acompanham cada poema minimal são universais – e não ecoam apenas para o público feminino.

O capítulo final do seu livro de poesia intitula-se de blomming (florescendo). Para lá chegar, atravessamos, inevitavelmente, os diferentes capítulos de um coração que foi partido: wilting, falling, rooting, rising (murchando, caindo, enraizando, subindo). A escritora guia-nos, através da aparente simplicidade das palavras, pelo caminho da superação e, em formato de curtos versos, alcançamos a tranquilidade das respostas e da aceitação e, como ela e com ela, florescemos.

Em formato spoken word, de olhos fechados e gestos delicados, ouve-se pela voz da autora: Apply lipstick like paint. Devaneio até à sala principal da zet gallery e à inegável subtileza presente na pintura e escultura de Fátima Santos, um dos nomes da próxima exposição. A sua obra encobre, à primeira vista, uma ousadia em tanto semelhante ao gesto de colocar batom – a delicadeza e a afirmação inerentes ao ato de (nos) pintar(mos). A seleção de obras de arte envolve-nos e confronta-nos, em simultâneo, erguendo-se nas três esculturas expostas.

A artista junta-se a Alexandre Coxo, André Lemos Pinto, Maria João Oliveira e Sofia Leitão & Henry Nesbitt em DUALIDADES OU A ESSÊNCIA DA INCORPORAÇÃO. Recomeçamos e reinventamo-nos em mais um capítulo do nosso livro. Aqui, a rentrée celebra-se na inauguração da quinta exposição do ano: amanhã, 14 ­de setembro, a partir das 18h30. E o espírito de recomeço mantém-se até 10 de novembro, data de término da exposição com curadoria de Helena Mendes Pereira. Até lá, pode ser visitada na zet gallery (Rua do Raio, 175, Braga) e revisitada, sempre, em www.zet.gallery.

 

 

 

 

 

Por Catarina Martins

Head of Communication da zet gallery 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *