A luz de Mariana Mizarela: de Barcelona a Braga

And I am finding out / There’s just no other way

That I’m still dancing at the end of the day

If you leave the light on / Then I’ll leave the light on

 

Maggie Rogers: “Light on”

Da discografia de Maggie Rogers, o tema citado sintetiza numa expressão um episódio de superação: light on. Confesso que durante dias a fio obriguei o espaço da zet gallery a partilhar o meu entusiasmo por esta descoberta musical – em particular por esta versão em coro, de 2019. A própria cantora – cuja voz ecoava pela galeria na fase de montagem da atual exposição -desconhecia que, em simultâneo, um outro coro se formava em Braga, do outro lado do mundo.

Uma das vozes é a de Mariana Mizarela. O corredor principal, atualmente redesenhado por outra artista em exposição, Ana Bonifácio, conduz-nos até à sala por ela ocupada. À semelhança da luz matinal do mercado de velharias em Barcelona, o Encants, um dos pontos de partida das suas criações artísticas, somos acolhidos pela suave luminosidade de focos indiretos. À medida que a curiosidade aproxima o nosso olhar da mesa, e sobre ela se debruça, embalam-nos as suas paisagens revisitadas. A seleção de obras de arte em exposição, pensada para o local onde se encontra, surpreende pelo inesperado das intervenções. A forma curvada de quem a contempla condiz com o arquear do corpo da artista na procura, por entre preciosas velharias, da próxima fotografia a recriar. Ao anonimato da autoria original opõe-se a infinita capacidade de Mariana Mizarela imaginar outras vivências; contra a brancura da superfície expositiva, rasgos de tons pintados; nos limites dos postais revisitados, novos pontos de fuga. No campo do factual surge uma nova existência. A recriação da artista possibilita uma nova visão daqueles espaços e todas as leituras possíveis das obras de arte garantem a eternidade da produção artística. Superamo-nos através da capacidade de nos revermos na criação do artista, que se suplanta na contínua criação de ligações com o público. A imaginação como um ato de salvamento mútuo: If you leave the light on / Then I’ll leave the light on.

Mariana Mizarela, natural do Porto e a residir em Barcelona, é uma das artistas da atual exposição coletiva. A restantes vozes de CALL FOR PAPERS são: Ana Bonifácio, Bernardo Scoditti, José Augusto Castro, Nuno Fonseca e Rui Horta Pereira. Para visitar na zet gallery, no centro de Braga, até sábado 2 de março. Para revisitar sem limite na respetiva plataforma online.

 

 

 

 

 

Por Catarina Martins

Head of communication da zet gallery 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.