BRATISLAVA

A capital da Eslováquia pode não ser a primeira hipótese quando pensa numa “escapadinha” na Europa. Dê-lhe uma hipótese, parta sem expectativas e verá como Bratislava conquista o seu coração. O Onde Ir faz uma lista do que não pode mesmo perder.

Por Wilson Ledo


Catedral de São Martinho

Catedral de São Martinho. Bratislava foi, em tempos, a capital do império húngaro. Não é por isso de estranhar que vários reis tenham sido coroados na Catedral de São Martinho, um dos monumentos, em estilo gótico, que marca a paisagem da cidade. A catedral fica mesmo ao lado da Staromestská, uma grande (e polémica) avenida cuja construção obrigou a destruir dois terços do centro histórico de Bratislava. Ao sair da catedral, procure no chão por umas placas com um símbolo de uma coroa: este era o caminho que os reis faziam no dia da coroação.

Hlavné námestie. Se não domina o eslovaco (o que até é compreensível), não precisa de ser preocupar. Se chegar a este ponto, significa literalmente que está na praça principal de Bratislava. As cores e a diversidade dos edifícios convidam a uma fotografia para mais tarde recordar. Há, nas imediações, lojas dedicadas a doces tradicionais, para matar o pecado da gula ou comprar um presente para quem ficou em Portugal.


Hlavné námestie

Igreja Azul. Por falar em fotografias, a Igreja de Santa Elisabete – mais conhecida como Igreja Azul – é obrigatória para aqueles que têm padrões elevados na hora de atualizar as redes sociais. Este exemplar de arquitetura “art nouveau” fica já um pouco fora do centro de Bratislava mas o tom azul-bebé e o interior deste templo vão fazer valer cada passada.


Igreja Azul

Castelo de Bratislava. Para quem procura uma vista privilegiada sobre a cidade, é obrigatório subir ao Castelo de Bratislava, onde também funciona o Museu Nacional da Eslováquia. A nossa dica é que aproveite os jardins e o miradouro, com o rio Danúbio lá ao fundo. A propósito, as margens deste rio são muito convidativas para um passeio ao final da tarde, já com o sol a pôr-se.

Porta de São Miguel. É possível percorrer os principais atrativos de Bratislava a pé, sem pressas. Será praticamente impossível, neste percurso, não passar pela Porta de São Miguel, um dos símbolos de Bratislava – é a única das quatro portas medievais que resistiu à passagem do tempo. Aqui perto há boas esplanadas para descansar, apanhar um pouco de sol ou beber uma cerveja – sim, a cerveja barata tornou-se um dos “cartazes turísticos” da capital eslovaca.


Porta de São Miguel

Cumil. Andar por Bratislava significa, também, cruzar-se com algumas estátuas de bronze. A mais conhecida é o Cumil, um trabalhador que espreita através de um bueiro. Não será muito difícil encontrá-lo, até porque os grupos de turistas (sobretudo chineses) costumam levar muito tempo aqui para as fotos da praxe. Há também quem esfregue a cabeça deste trabalhador, à espera de que a promessa de boa sorte no dinheiro se realize.

Cumil

Galéria Nedbalka. Para os apreciadores de arte, Bratislava pode revelar-se uma surpresa. Na arte contemporânea, a Kunsthalle Bratislava apresenta propostas mais arrojadas. Contudo, para ficar a conhecer um pouco a história do país, rume à Galéria Nedbalka. De fora, é difícil imaginar as linhas arquitetónicas que este espaço guarda. A cada patamar, há obras de artistas eslovacos dos séculos XIX e XX, cujas explicações pode consultar através de um “tablet” que é disponibilizado na receção. O bilhete inclui um café ou chá, o que é sempre bom para preparar a etapa seguinte da visita a Bratislava.


Galéria Nedbalka

Le Papillon Restaurant. O nome francês e a decoração cheia de bom gosto fazem lembrar Paris. Entre à mesma, porque aqui (mesmo ao lado da praça principal de Bratislava) vai poder provar alguns dos pratos mais típicos da gastronomia eslovaca, a preços acessíveis. Não pode mesmo perder o Bryndzové halušky, que mistura gnocchi de batata, queijo de ovelha e pedacinhos de bacon. Se a companhia for mais reticente a experiências gastronómicas, o menu tem sempre opções mais consensuais. Saem todos a ganhar.


Le Papillon Restaurant

GUIA PRÁTICO

Moeda: Euros.

Idioma: Eslovaco. Utilize o inglês para comunicar.

Como chegar: Não existe voo direto de Lisboa ou do Porto para Bratislava. Voe até Viena de Áustria (com a TAP ou a Wizz Air, por exemplo) e depois apanhe um autocarro do aeroporto até Bratislava.

Diferença Horária: Mais uma hora do que em Lisboa

Onde ficar: Bratislava tem uma oferta diversificada, para todos os gostos e carteiras, de hotéis e hostels. O Onde Ir optou por ficar num alojamento local, por cerca de 40 euros por noite. No quarto, aguardava-nos um “kit” de produtos tradicionais da Eslováquia.

 

One thought on “BRATISLAVA

  • 20 de Junho de 2019 at 21:28
    Permalink

    Sem dúvida uma cidade a não perder…

    Reply

Responder a Ines alves Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.