Cinco exposições que tem mesmo de conhecer

Agora que os últimos meses do ano estão aí, é tempo de aproveitar para conhecer o que de mais recente se está a fazer no mundo das artes. Como sugestão de fim de semana, o Onde Ir dá-lhe a conhecer cinco exposições que juntam a escultura, à fotografia e à performance.

Caixa para Guardar o Vazio

(c) Carlos Fernandes

A artista plástica Fernanda Fragateiro e a coreógrafa Aldara Bizarro, apresentam Caixa para Guardar o Vazio, uma exposição que junta a escultura e a performance através de uma caixa de madeira, aço e espelho de grandes dimensões e dois bailarinos. A exposição questiona as noções de objeto escultórico, o papel do espetador e desafia a corporalidade daqueles que participam na experiência ao vê-lo em ação.

Até dia 1 de dezembro, entre terça-feira a domingo, das 11h às 18h, a exposição pode ser visitada nas galerias da Culturgest, em Lisboa. Já as performances acontecem dia 23, 30 de novembro e 1 de dezembro, às 15h e às 17h e têm o custo de €5 por pessoa.

Appleton [Box]

Na próxima quinta-feira, 14 de novembro, pelas 21h30, na Appleton Associação Cultural, em Lisboa, Tomaz Hipólito apresenta o seu trabalho, onde o foco principal é o espaço, a sua ocupação e transformação. A fotografia, o vídeo, a performance, a pintura e o desenho são aqui utilizados para revelar o conceito de cada trabalho.

Exposição da Imprensa Nacional – Casa da Moeda

Até ao dia 15 de novembro, poderá visitar a exposição da Imprensa Nacional – Casa da Moeda, patente no piso 1 do Centro Vasco da Gama, em Lisboa. A exposição conta com um conjunto de dez moedas associadas a celebrações especiais e feitos históricos, como os 500 Anos da Primeira Viagem de Circum-Navegação de Fernão de Magalhães, criada por Luís Filipe Abreu, ou os 600 Anos do Descobrimento da Madeira e Porto Santo, naquela que foi a última criação do artista plástico Júlio Pomar.

No.One.Gives.A.Mosquito’s.Ass.About.Trabalho.De.Preto

O mais recente trabalho do artista multimedia Nástio Mosquito é uma exposição expandida que junta uma instalação audiovisual composta por nove soundscapes, um programa semanal de sessões áudio intitulado “No.One.Gives.A.Mosquito’s.Ass.About.Visions”, autocolantes, folhetos e ainda performances e colaborações que podem acontecer de forma espontânea. O título surge como uma provocação e confronta-nos com as conotações negativas da expressão “trabalho de preto”.

A inauguração acontece dia 20 de novembro pelas 20h no HANGAR, em Lisboa e estará patente de quarta-feira a sábado, entre as 15h e as 19h, até dia 15 de fevereiro de 2020.

Um Olhar Sobre o Mundo Através dos Camiões de Recolha de Resíduos da Maia

(c) Mário Cruz

Os camiões de recolha de resíduos da Maia voltam a desafiar os olhares de quem por eles passa com a nova exposição do World Press Photo 2019. Nestes camiões estarão dez painéis que contam histórias através de fotografias impactantes, pela lente de fotógrafos de imprensa, fotojornalistas e fotógrafos documentais, a nível profissional. Entre elas está a fotografia “Viver no meio do que foi deixado para trás”, de autoria do fotografo português, Mário Cruz, que recebeu o 3º Prémio na categoria de Ambiente.

As viaturas encontram-se em circulação e a exposição estará patente, de terça-feira a domingo, entre as 9h e as 22h, até dia 22 de novembro, no Forúm da Maia. A entrada é livre.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.