Desenvolvimento sustentável – O contributo do Parque Natural do Faial

O desenvolvimento sustentável, por definição, traduz-se no desenvolvimento humano na procura de dar resposta às suas necessidades atuais e, ao mesmo tempo, sem colocar em causa o acesso das gerações futuras a essa capacidade, “Relatório Brundtland”, no qual são enumerados os riscos do uso excessivo dos recursos naturais sem ter em conta a capacidade de suporte dos ecossistemas.

Tendo em consideração este tema, foi proposto ao Parque Natural do Faial (PNF) pelo site “Onde ir” a elaboração de um texto que abordasse o turismo sustentável, o contributo que este organismo tem no desenvolvimento de politicas e ações que permitam aos visitantes usufruir dos espaços, e qual a melhor forma que possam contribuir para um desenvolvimento sustentável do Parque Natural do Faial.


Vulcão dos Capelinhos
Créditos: SIARAM, Paulo Silva

O Faial está repleto de formações geológicas que nos transportam até aos momentos da formação desta magnífica ilha, de vegetação considerada um “fóssil vivo”, onde é possível observar a teoria de Darwin, fauna única e enquadrado num panorama rodeado por um vasto mar azul, povoado por cetáceos e outras criaturas cuja forma fica para lá da imaginação.

Para efetuar a gestão e conservação de tão grandes valores ambientais e permitir a sua visitação, foram criados nos Açores, há cerca de 10 anos os Parques Naturais dos Açores, um por cada ilha. No Faial, desde 2008 que é missão do PNF garantir as diretivas de conservação da natureza definidas, nomeadamente através de operações de restauro ecológico de habitats, onde se incluem a produção de flora endémica rara, erradicação de vegetação invasora e conservação de património genético natural em banco de sementes.

A conservação da natureza, permitindo que estes bens cheguem às gerações futuras, é a principal missão do PNF e, é sem duvida, o maior contributo na sustentabilidade ambiental dada pelo Parque.


Créditos: SIARAM, Paulo Silva

Estas ações visam a melhoria da qualidade de vida, sobretudo para os residentes da ilha que podem usufruir de uma melhor qualidade ambiental, no entanto, não se pode falar em desenvolvimento sustentável sem falar em economia e sociedade.

Para o efeito, o Parque Natural do Faial conta com quatro centros de interpretação (Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, Jardim Botânico do Faial, Casa dos Dabney e Aquário de Porto Pim) que permitem o visitante interpretar os valores ambientais, levando a um maior esclarecimento e ao despertar de valores conservacionistas. Estes centros recebem mais de 50.000 visitantes por ano e, para além da criação de empregos e injeção económica direta, “obrigam” a uma estadia mais prolongada do turista, o que tem um efeito multiplicador, sobretudo na hotelaria e na restauração.

Ao longo dos últimos anos, foram ainda, criados vários trilhos pedestres. O PNF conta, atualmente, com 10 trilhos pedestres com cerca de 110 km de extensão, sendo que a descida à Reserva Natural da caldeira necessita, obrigatoriamente, de ser acompanhada por um guia formado e certificado pela Direção Regional do Ambiente, entidade que tutela os Parques Naturais dos Açores. Com a implementação destas politicas, assistiu-se à criação do surgimento de várias pequenas empresas ligadas à animação turística ambiental, promovendo a criação de emprego.

A implementação destas medidas levou o PNF a ser considerado “Destino Europeu de Excelência” pela Comissão Europeia, e faz-nos acreditar que este é o caminho correto para o desenvolvimento sustentável através do envolvimento do ser humano.

Por João Melo, diretor do Parque Nacional do Faial

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.