Hummusbar: grão a grão é que se enche o papo

Sabia que no Mercado de Campo de Ourique, em Lisboa, há um restaurante onde o húmus é a estrela? O Onde Ir deixa aqui uma sugestão acessível, para um relaxado jantar a dois.

Por Wilson Ledo

É um teste ao mercado português mas está a correr tão bem que até já tem clientes habituais pelo bairro de Campo de Ourique. No Hummusbar, restaurante da cadeia húngara que se estreou em Lisboa no final de 2018, o nome não deixa margem para dúvidas sobre qual é o prato forte da casa: húmus – para quem ainda não sabe, uma pasta feita à base de grão-de-bico.

Com uma ementa que é um autêntico convite a vegetarianos e veganos, a nossa sugestão – até pelas características do Mercado de Campo de Ourique – é que vá até ao Hummusbar com um pequeno grupo de amigos ou então para um jantar a dois.

As doses são generosas e três pratos chegam, perfeitamente, para que duas pessoas regressem a casa com os estômagos satisfeitos com estes sabores do Médio Oriente. O Onde Ir foi um pouco mais guloso e experimentou quatro das propostas da carta do Hummusbar. São pratos que, apesar de terem quase todos o húmus em comum, proporcionam experiências diferentes ao paladar.

Uma das surpresas do jantar foi a salada de couve-flor frita (4,4€), uma forma diferente e mais estaladiça de comer estes legumes que, não raras vezes, provocam cara feia à mesa. No Hummusbar, cada pedacinho vai puxando outro – e despertando a curiosidade sobre o que virá nos pratos seguintes.

Seguiu-se, a contrastar com o anterior, uma fresca e condimentada salada turca (7,9€). Aqui sim, já rodeada da famosa pasta de grão-de-bico. E, para apreciar verdadeiramente este prato, é preciso ir recheando o pão pita – ainda quente – que o acompanha. É também rodeado de húmus que chega à mesa o falafel (4,9€), uns crocantes bolinhos fritos feitos de grão.

Para o fim – e ainda bem – deixámos a shakshuka (8,9€): tomate, pimento, cebola, especiarias e ovo escalfado, tudo junto num tacho, que nos apetece aproveitar com o pão pita até ao último pedacinho. Apesar de ser um prato típico do Médio Oriente, não será difícil encontrar semelhanças com a gastronomia alentejana. Esta é também uma das exceções à carta, onde não vai encontrar húmus.

Quatro bons motivos para rumar ao Mercado de Campo de Ourique. Mas, se ainda não estiver convencido, lembramos algumas das vantagens do húmus: é uma ótima fonte de energia com baixo índice glicémico, rico em cálcio, ferro e fibra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.