Sem título, 2019

Deu-lhe mote uma mudança de casa e seus caixotes. Enquanto retirava os livros da
estante da sala, escolhi 15 que (por razões tão diferentes) se demoraram nas mãos.
Quase a sós ficaram na sala já vazia que, durante algum tempo, fingiu ser o corredor em Braga.

 

Ana Bonifácio, artista da exposição coletiva da zet gallery CALL FOR PAPERS

 

A próxima exposição celebra a chegada do novo ano. Como ele, ela própria é mudança. Pela primeira vez, o papel une seis diferentes artistas num espaço que evoca transição e multiplicidade: a zet gallery.

A seleção de obras de arte encaminha-nos, delicadamente, para o campo do indizível: do que não se vê, o que não se toca e daquilo que não se define, surpreendendo pela impossibilidade de as etiquetar em categorias encerradas. A diversidade acrescenta mundo aos nossos, abre as gavetas retira-(n)os dos pedestais onde (n)os colocamos, perguntando onde escondemos o desassossego. Transitamos do quotidiano do José Augusto Castro para as paisagens revisitadas por Mariana Mizarela, pela mestria do desenho de Rui Horta Pereira e pelos caminhos da história do floricultor de Nuno Fonseca até à geometria de Bernardo Scoditti. No corredor central da galeria, Ana Bonifácio obriga o nosso olhar a deslocar-se da tradicional linha da contemplação de obras de arte, lembrando o ridículo da insistência na arrumação interior quando o processo de criação é contínuo.

Distintos percursos e idades desviam a carga em excesso da palavra legado e escrevem-na do que realmente a constitui: o presente. E enquanto batalhamos pela ansiada autodefinição, após infinitas resoluções de ano novo, não assistimos às nossas próprias singularidades que ficam pelo caminho, ignorando a vida a acontecer. A hora chegou de lembrar o que foi exposto, discutido, escrito e levá-lo connosco pela mão. A outra deixamos livre para todos os gestos: dar a mão, agarrar o que vem, puxar o que foge, consolar quem precisa e ser o maestro da nossa orquestra.

O nosso calendário não se faz de meses: em formato vídeo, cada semana é de um artista. A cada dois meses, o espaço é de uma exposição individual ou coletiva. A cada dia: mais artistas, novos visitantes e colecionadores, descobertas na infinita, inconstante, eterna arte contemporânea. Este sábado a exposição coletiva CALL FOR PAPERS marca o primeiro mês de 2019 – inaugura dia 12 pelas 16h00.

 

Nota: A zet gallery está aberta de segunda-feira a sábado, das 14h às 19h, encerrando nos feriados nacionais. Estamos em outros horários: basta contactar. Todos os dias do ano estamos em: www.zet.gallery.

 

 

 

 

 

 

 

Por Catarina Martins
head of communication da zet gallery 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.